01 de novembro de 2018
Comentário( 0 )

Mês da Consciência Negra

O Memorial Minas Gerais Vale entra em novembro celebrando o Mês da Consciência Negra. A programação começa no dia 8, com o Sarau das Pretas, para o lançamento do livro Raízes – Resistência Histórica, e segue com o grupo folclórico-musical Lavadeiras da Prainha, de São Gonçalo do Rio Abaixo. Na segunda semana, acontece a apresentação Sois África, com Tom Nascimento e o infantil Griot – História e Cantorias. A última atração será o músico, compositor e parceiro de Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, que tem entre suas obras o CD Áfrico. Todas as atividades são gratuitas e o Memorial Minas Gerais Vale fica na Praça da Liberdade.

Mês da Consciência Negra

“Nossa programação está focada na celebração do Mês da Consciência Negra, com uma curadoria de atrações pensadas para enaltecer essa data tão especial para o Brasil e relembrar a importância dos movimentos, da arte e da cultura afro”, comenta o gerente do Memorial Minas Gerais Vale, Wagner Tameirão.

Dentro da curadoria da Orquestra Ouro Preto, acontece, no dia 15 de novembro, a apresentação do Duo Cello e Movimento, em que a bailarina Liana Vasconcelos dança ao som do violoncelista Mateus Ceccato.

Três exposições continuam em andamento: a exposição fotográfica Inventário do Sob, de Sylvia Amélia, que segue até dia 21 de fevereiro; as esculturas de Ângelo Venosa, até o dia 25 de novembro; e a exposição audiovisual Vozes da Cidade, de Bellini Andrade e Marcus Nascimento, que está disponível até o dia 6 de dezembro.

CONFIRA OS DETALHES:

ATIVIDADES EDUCATIVAS

As atividades educativas são permanentes no Memorial e, neste mês da Consciência Negra, abordarão essa temática: histórias aos pés do Baobá, relacionadas à cultura africana, serão criadas e contadas utilizando fantoches e outros objetos que lembram aquela cultura. Também haverá a atividade embondeiros, que é a construção de pequenos baobás, árvore símbolo da oralidade e transmissão de conhecimentos da cultura africana. O público também será convidado a usar a hashtag #afrommgv para registrar e compartilhar sua visita, com mensagens no Baobá. Ainda aos fins de semana, são promovidas Sessões Dialogadas com temáticas alusivas às salas do museu, em busca de novos olhares e abordagens: sábados às 13h, 14h e 15h. Domingos às 11h, 12h, 13h, 14h e 14h30.

Africanidades Permanentes

O público também será convidado a visitar algumas salas permanentes do Memorial Minas Gerais Vale, que trazem a temática “Africanidades”, criadas para resgatar a cultura africana presente em Minas Gerais, percebendo e valorizando a diversidade étnico-cultural, assim como para identificar e reconhecer as diversas formas de resistência como manifestações culturais.

Africanidades Itinerantes

De 19 de novembro a 29 de março de 2019 estará em exibição em Nova Lima, o Memorial Itinerante – Africanidades, que levará à população um recorte do acervo do Memorial e pretende ampliar a discussão e a reflexão a respeito das questões étnico-raciais, propondo ações de fortalecimento das identidades e apropriação das matrizes africanas presentes na sociedade brasileira. A exposição temporária é composta por uma reprodução de seis ambientes do Memorial Minas Gerais Vale, que dialogam com a presença da cultura africana na formação de Minas Gerais. São as salas: Celebrações, Vale do Jequitinhonha, Fazenda Mineira, Vilas Mineiras, Povos Mineiros e Sebastião Salgado. A mostra tem entrada gratuita e fica em exibição na Casa de Cultura Professor Wilson Chaves, na Avenida Rio Branco, 308, Centro – Nova Lima.

8/11 SARAU DAS PRETAS LANÇAMENTO DO LIVRO RAÍZES

No dia 8 de novembro, quinta, às 19h30, acontece o Sarau das Pretas com o lançamento do livro Raízes – Resistência Histórica, da editora Venas Abiertas. A obra é resultado da reunião de 20 autoras negras, de diferentes estilos literários, reunidas pela escritora Karine Bassi, que, após tomar conhecimento de pesquisa que informava que o mercado editorial brasileiro é formado 93% por autores brancos, sendo 72% deles homens, desafiou, por meio do Facebook, mulheres negras de todo o Brasil a enviarem suas escritas. Dezenas se manifestaram enviando seus trabalhos, e 20 foram as escolhidas. Sete delas participarão do Sarau da Pretas, com diversas intervenções artísticas. O evento é gratuito, com entrada sujeita a lotação. A apresentação integra o projeto Diversidade Periférica.

10/11 – GRUPO FOLCLÓRICO LAVADEIRAS DA PRAINHA

No dia 10 de novembro, sábado, às 15 horas, o Grupo Folclórico Musical Lavadeiras da Prainha canta e dança os mais belos repertórios inspirados na cultura popular de São Gonçalo do Rio Abaixo, baseados em vivências das mulheres que antigamente lavavam roupas nas águas puras e cristalinas do Rio Santa Bárbara, que corta o município. A apresentação integra o projeto Gerais Cultura de Minas.

15/11 DUO CELLO E MOVIMENTO

No dia 15 de novembro, quinta, às 19h30, acontece a apresentação do Duo Cello e Movimento, em que a bailarina Liana Vasconcelos dança ao som do violoncelista Mateus Ceccato. A apresentação conta com a participação da flautista Sofia Ceccato. O evento faz parte de uma série de concertos que têm a curadoria da Orquestra Ouro Preto.

17/11 TOM NASCIMENTO FAZ SARAU SOIS ÁFRICA

No dia 17 de novembro, sábado, às 15 horas, o instrumentista, cantor e intérprete Tom Nascimento apresenta um sarau, com voz e violão, acompanhado do percussionista Johnny Herno. Seus ritmos são os da black music, seja soul, reggae, congo, blues ou rock, indo ao encontro dos ritmos brasileiros, num passeio entre o samba e o baião. A apresentação integra o projeto Sarau do Memorial.

 

18/11 – GRIOT HISTÓRIA E CANTORIAS

Dia 18, domingo, às 11 horas, acontece a contação de histórias Griot – História e Cantorias. A peça, encenada pelo grupo Teatro Negro e Atitude, é uma vivência lúdica e divertida, na qual  dois contadores de histórias – metidos à Griot (tradicionais contadores de histórias africanos) – brincam, cantam e narram lenda e mitos africanos e contos da cultura popular afro-brasileira. Trata-se de uma grande festa (quizomba), um encontro pretexto para a celebração da diversidade ético-cultural do país. A apresentação integra o projeto Eu, Criança, no Museu!

22/11 – SHOW COM SÉRGIO SANTOS

Dia 22/11, quinta-feira, às 19h30, Sergio Santos faz show no Memorial Minas Gerais Vale. O artista tem 8 CDs lançados, entre eles Áfrico, o primeiro disco da Discoteca Fundamental do Século XXI, do Museu da Imagem e do Som; e o disco Litoral e Interior, indicado ao Grammy latino de melhor canção brasileira. É parceiro do poeta Paulo César Pinheiro, um dos mais importantes da música brasileira, em mais de 300 músicas. A apresentação integra o projeto Gerais Cultura de Minas.

EXPOSIÇÕES:

ATÉ 25 DE NOVEMBRO | HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

Penumbra, de Angelo Venosa

Um dos principais expoentes do cenário cultural contemporâneo, o artista plástico paulistano Ângelo Venosa desembarca em Belo Horizonte com a exposição “Penumbra”. O museu recebe um conjunto de esculturas que desafia o olhar do espectador no decorrer de toda mostra. A exposição alinha peças que combinam o antagonismo entre a artificialidade e o orgânico, peso e leveza. A iniciativa é da Fundação Vale, que traz um conjunto de obras inéditas a Belo Horizonte: três grandes esculturas para galeria e outra para o Jardim do Memorial, além de uma série de obras de pequenas dimensões em madeira, tecido e/ou vidro.

ATÉ DIA 6 DE DEZEMBRO | HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

Vozes da Cidade

Vozes da Cidade é uma exposição audiovisual que busca identificar e registrar os sons produzidos por habitantes de Belo Horizonte que têm na voz, associada ou não a aparatos sonoros, seu instrumento de trabalho. Em tempos de comércio eletrônico e virtual e de mediação das relações humanas pelas redes sociais, o projeto Vozes da Cidade homenageia pessoas que continuam fazendo uso da comunicação oral como instrumento de trabalho. A mostra é uma realização da produtora Emvideo, com videoinstalação dirigida por Bellini Andrade e Marcus Nascimento.

ATÉ DIA 21 DE FEVEREIRO | HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

Exposição Inventário do Sob”, de Sylvia Amélia

A curadoria de Bruno Vilela e Guilherme Cunha traz ao Memorial Vale uma exposição fotográfica que, no contexto da cidade e suas escritas, apresenta um recorte da série idealizada pela artista entre os anos 2003-2007. O olhar se dirige ao rés do chão: palavras arruinadas que antes eram nomes de estabelecimentos comerciais da cidade se inscrevem e são lembradas por seus des-nomes. Na mostra se instaura uma arqueologia da palavra materializada pelas pedras em falhas, fragmentos e soterramentos gerados pelo fluxo dos pés, das operações urbanas, dos acidentes. Destituídas de seu originário sentido prático e objetivo para figurarem como escrita anônima, ordinária e cotidiana, as imagens convocam o olhar a reler a cidade na incompletude de seus traços.

SERVIÇO

Programação de NOVEMBRO do Memorial Minas Gerais Vale

Horário: Conforme programação

ENTRADA GRATUITA, sujeita a lotação das salas

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE

Endereço: Praça da Liberdade, 640, esq. Gonçalves Dias

Horário de funcionamento: terças, quartas, sextas e sábados, das 10h às 17h30, com permanência até 18h. Quintas, das 10h às 21h30, com permanência até 22h. Domingos, das 10h às 15h30, com permanência até 16h.

http://www.memorialvale.com.br

https://www.facebook.com/memorialvale

https://www.youtube.com/user/memorialvale

www.memorialvale.com.br/visite/visita-virtual/

Compartilhe:Share on Facebook

Facebook

COMENTE:

Avalie este Fornecedor

Seu endereço de email não será publicado. Todos os campos são obrigatórios

Jovens também precisam se vacinar

22 de outubro de 2018

O feminismo no ele não: onde está?

1 de outubro de 2018