24 de julho de 2015
Comentários( 3 )

OUTRA VEZ O AMOR…

Meu filho tinha cinco meses, eu não estava trabalhando, cuidava da minha casa e cursava o ultimo período da faculdade. Nesse tempo tudo ficou muito mudado na minha vidinha perfeita de comercial de margarina, eu estava sempre cansada e as pessoas me perguntavam de que? De eu ficar em casa todo dia? Mas eu nunca tinha tempo pra nada.

OUTRA VEZ O AMOR
®Shutterstock

OUTRA VEZ O AMOR… – Por Padecente Anônima

Durante esse tempo eu observei varias coisas no comportamento do homem mais lindo do mundo, mais amoroso e dedicado, o homem que escolhi para passar a vida inteira também estava cansado irritado, e estava chegando tarde em casa, estava perdendo a paciência com tudo, e estava distante.

Eu li muitas coisas e decidi que era normal, que todo casal passa por isso e decidi ignorar porque ficar caçando cabelo em ovo não é minha praia. E vamos embora viver.

Até que um dia alguém ligou no meu celular e me disse que meu marido estava apaixonado por ela e não tinha coragem de falar comigo por causa do bebê, que ele ia falar a qualquer momento mas ela (gentil não?) já queria que eu estivesse preparada.

Sabe o que eu fiz? Nada, passei a noite pensando o que eu de verdade queria fazer e fiz uma lista de perguntas com respostas:

  1. Amo meu marido? Sim. Muito.
  2. Acho que ele me ama? Sim, muito.
  3. Quero chutar o pau da barraca e botar a boca no mundo? Não (odeio drama, escândalo).
  4. Quero jogar fora tudo que fizemos até hoje? Não.
  5. Quero viver enganada? Não.
  6. Mereço sinceridade e lealdade? Sim, muito mais do que fidelidade.

Veja que meu filho não está no pacote, ele é meu e eu seria capaz de sair adiante por ele sempre em qualquer situação, com ou sem marido. A coisa era entre  o casal, era sobre nossos sentimentos. Não sobre dinheiro, não sobre filho, não sobre traição, apenas sobre amor.

Para mim amor também é liberdade e se um dos dois não ama a vida segue, sempre com respeito sem impor a ninguém nenhum tipo de sofrimento.

Esperei dois dias muito quieta muito calma, sendo a mulher mais amorosa do mundo, queria muito que ele me dissesse espontaneamente o que gostaria de fazer. Como não aconteceu nada eu ainda tive tempo de pensar em mais um detalhe: ele não quer falar, ele não quer ir. Para ele está confortável assim, ou ele tem medo…vai saber.

Eu não revistei celular, não li e-mails (mesmo ele esquecendo aberto no laptop), não bisbilhotei fatura de cartão de crédito nem extrato de banco e fiquei esperando.

Uma tarde de sábado ele me pediu para ver a mensagem que chegou no celular dele e era uma mensagem assim: “faltam dois dias para estarmos juntos” (o tempo que faltava para ele fazer uma viagem de trabalho para SP e ficar uma semana).

Eu li a mensagem pra ele e sai do quarto. Quando ele veio atrás de mim me encontrou calma e serena na sala, meu filho estava dormindo e eu disse que a moça tinha me ligado antes e pedi: “vamos conversar como adultos, pode ser?” Então fiz a ele todas as perguntas da minha lista e ele foi respondendo exatamente como eu esperava.

Expliquei então que a lealdade pra mim é a verdadeira essência do amor e que eu esperava uma atitude honesta. Não quero respostas idiotas do tipo: estou confuso, preciso pensar. Quero saber o que você está a fim de fazer.

Se está a fim de viver uma “aventura” radical, a porta da rua é serventia da casa. Mas vá sabendo tudo que fica pra trás. Se está a fim de consertar as coisas tem que ser de coração.

Para que tenha tempo eu vou sair pra dar uma volta, mamadeira na geladeira. Esquente, dê banho e cuide do bebê até minha volta. Ok?

Fui. Caminhei 17 quarteirões, 17! Pode isso? Finalmente sentei na Praça da Liberdade e mandei uma mensagem para minha sócia, do celular do marido (que tinha levado comigo) pedindo para encontrar na praça.

Quando ela chegou disse que eu tinha mandado a mensagem,  que a gente precisava conversar um pouco, e disse que ele estava em casa pensando, que isso seria libertador para nos duas e que todo mundo sairia ganhando com a verdade que tudo estaria bem.

Disse que eu iria fazer questão de ter ele sempre presente na vida no meu filho e que estava torcendo muito para que ele me escolhesse, para que ele ficasse comigo e pudéssemos ter a vida que sempre sonhamos. Disse para ela que essas coisas acontecem e que ninguém tem culpa de nada, que ela era uma moça muito bonita e merecia ser bem feliz também.

Ela falou pouco e no pouco que falou eu fui observando como seria a vida do meu amor ao lado de uma criatura vulgar, mal educada, que não sabia se vestir nem sentar, nem falar e quando ela disse que sempre me invejou, que ela queria ter a vida que nos tínhamos e que se separou do marido para investir no meu; eu decidi que não ia mesmo abrir mão de nada, a não ser que meu marido dissesse que não me amava mais.

Quando voltei pra casa disse pra ele onde tinha ido e o que tinha feito. Ele me olhava incrédulo (era bem tarde, meu filho estava dormindo de novo) e eu disse que ia dormir, mas que tinha escrito um bilhete pra ele. O bilhete era este:

Meu amor,

Não estou julgando você, por incrível que pareça, não estou julgando mesmo, estou tentando entender, tentando organizar meus pensamentos de uma forma que as minhas atitudes sejam condizentes com as coisas que falo: que o amor é mais forte do que tudo, que a lealdade é mais importante que a fidelidade, e que o nosso casamento é uma coisa muito sólida.

Estas coisas eu digo sempre quando a conversa é sobre traição, e pense bem… Traição é uma palavra duríssima. Não gosto dessa palavra.

Considero traição o ato de esquecer as pessoas que te amam, e pelo visto você não me esqueceu, então menos mal. Considero que você não traiu a mim, mais a você mesmo e as coisas que você com tanto amor me ensinou na vida, a mim você decepcionou, e muito.

Mais isso também não é de todo sua culpa, porque Você é um homem apenas o homem que eu amo, com todas as suas virtudes e defeitos.

Além do mais traição precisa envolver sentimentos e você me disse que seus sentimentos estão comigo.

O amor é exatamente isso, sermos capazes de entender as fraquezas da mesma forma que admiramos as virtudes.

 

No dia seguinte eu acordei e ele não estava em casa. Foi a manhã mais triste de toda minha vida, eu imaginei mil coisas (e nenhuma boa) e o tempo não passava.

Quando ele voltou me disse: Sabe uma coisa? Eu te amo hoje mais do que nunca te amei na vida, porque te amo e te admiro, porque nunca vou encontrar ninguém como você e se eu tiver a oportunidade de apagar do seu coração essa magoa, vou fazer de você a mulher mais feliz deste mundo.

Me apaixonei por você no dia em que te vi pela primeira vez e agora me apaixonei de novo. Existe amor a segunda vista?

Eu não me lembro de ter sido tão feliz e tão grata.

A gente se abraçou e ficou sentado no chão por três horas, se beijando, lembrando e chorando, e pensando como seria se refazer disso tudo, como estabelecer regras pra superar isso e a única decisão clara e unânime era que iríamos ficar velhinhos juntos na casa de praia (ainda vamos resolver esse detalhe) com os nossos netos….

Eu passei por tudo isso sozinha sem contar a ninguém porque queria ser dona da minha escolha, não queria que ninguém participasse disso, não queria expor pra minha família nem pra dele esse momento.

Quero contar pra vocês  porque é  fácil a gente se inclinar para o lado do orgulho, rancor e raiva… Se inclinar para o perdão é se expor ao julgamento.

Mas não me arrependo nem um segundo de ter escolhido perdoar, e não digo que tenha sido fácil (não mesmo: medo tristeza, insegurança, ressentimento… a lista é longa) nem digo que deve se fazer o mesmo na mesma situação, quero dizer apenas que sempre existem uma forma de seguir em frente e que se pode fazer valer a pena.

Sete anos depois? Somos o casal do comercial de margarina de novo, estamos alegres, estamos unidos e sobre tudo estamos cientes de que a vida precisa de novas oportunidades para dar certo.

Nunca disse a ele, mas eu sei que deixei tudo de lado, e que eu também poderia ter feito diferente mas como não podia mudar o passado mudei o nosso futuro.

Não considero que ele me deve gratidão eterna, só espero  que  nosso amor perdure e que a vida siga leve.

Leia também:

Traição e Perdão – Anônimo

COMENTE: